Gratuito, musical ‘Jingle Bus’ leva mensagem de esperança em meio à pandemia

Em um ano com tantos obstáculos, um grupo de artistas se reuniu para montar um espetáculo gratuito que busca passar uma mensagem de amor e esperança. O “Jingle Bus – Um Concerto de Natal” foi um projeto pensado para ser itinerante e levar o clima natalino para vários cantos de São Paulo. Em 2017, isso foi possível, mas este ano, por causa da pandemia causada pela Covid-19, o espetáculo natalino precisou ser adaptado. “Eu queria trazer o espírito do Natal em um ano tão difícil, tão dolorido para todos, não só para nós do teatro, mas para o mundo todo. Pensei em levar um sopro de alegria através de um espetáculo musical”, afirmou a produtora executiva Adriana Del Claro à Jovem Pan.

A ideia do “Jingle Bus” surgiu há alguns anos, quando Adriana saiu da sua cidade natal para morar em São Paulo. “Sou de Curitiba e todo ano um grupo anônimo ia até os prédios e fazia uma serenata de Natal. Quando eu era criança, eu ficava ansiosa porque eu não sabia quando iam até o meu prédio. Eu escutava as janelas abrindo na madrugada porque as pessoas queriam ouvir aquela música, aquela mensagem, e eu ficava muito tocada. Quando vim para São Paulo e comecei a trabalhar com produção teatral, quis fazer algo itinerante para levar a mensagem de Natal para as pessoas”, contou a produtora. Por causa dos protocolos de segurança, a equipe envolvida no projeto entendeu que não poderia montar um musical itinerante esse ano. “Lá em 2017, apresentamos no Parque do Ibirapuera, no Parque do Povo, em comunidades e em ruas de São Paulo. Foi lindo, mas na rua não tem como controlar o distanciamento social, aí surgiu a ideia de ir para o teatro”, contou Adriana, que conseguiu fazer uma parceria com o Teatro Santander, na zona Sul da cidade.

ONGs no teatro

O musical gratuito tem como foco principal trazer um respiro para quem está mais precisando. “Pensei muito esse ano em como as ONGs estariam com esse isolamento. Pensei que as pessoas dessas organizações poderiam estar mais isoladas, não só na questão financeira, mas na questão emocional também.” Com isso surgiu a ideia de levar as ONGs para o teatro e, para isso, foi feita uma parceria com uma empresa de ônibus e todos os cuidados estão sendo tomados na entrada e na saída do espetáculo. Vale ressaltar que o musical também está aberto ao público em geral.

A atração deste ano possui uma história inédita, e Adriana explicou que todas as músicas foram pensadas considerando a mensagem que gostariam de passar. “Queremos transmitir paz, amor, fé, união, respeito, tudo o que o Natal representa, principalmente nesse ano.” Além de ser um projeto de impacto social, ele marca a volta desses profissionais ao teatro, que ficou fechado durante meses devido à pandemia. “Pisar no palco depois de tantos meses foi especial, parece que foi uma volta à nossa segunda casa. Todo mundo ficou muito emocionado. A gente percebeu que precisa disso, a gente vive disso e para isso. Alguns atores amigos que foram assistir ao espetáculo ficaram emocionados também, assim como o público. Uma senhora chegou em mim chorando e disse: ‘Você salvou o meu ano, obrigada por salvar o meu ano’. Isso mostra que a nossa luta de fazer teatro na pandemia está valendo a pena”, pontuou a produtora.

O espetáculo fica em cartaz até o dia 18 de dezembro e é uma realização da Del Claro Produções. A direção é de Zé Henrique de Paula e a direção musical fica por conta de Fernanda Maia. Entre as músicas do “Jingle Bus” estão clássicos como Halellujah, Jingle Bells, Noite Feliz e Imagine, de John Lennon. O elenco conta com Mateus Ribeiro, Carol Costa, Davi Tapias, Ettore Veríssimo, Gui Leal e Luci Salutes. Entre os projetos para 2021 estão a volta do espetáculo “Chaves – Um Tributo Musical”, que foi interrompido por causa da pandemia, e o musical da BroadwaySweeney Todd”, que já ganhou uma versão cinematográfica em 2007, estrelada por Johnny Depp e Helena Bonham Carter. “A gente espera estar em cartaz como antes e com a casa cheia”, finalizou.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.