Guerra comercial EUA X China cai no Enem? Veja como o tema pode aparecer na prova e dicas para estudar


Enem 2020 será aplicado em 17 e 24 de janeiro (prova impressa) e 31 de janeiro e 7 de fevereiro (prova digital). Donald Trump e Xi Jinping se encontraram em Osaka, no Japão.
Kevin Lamarque / Reuters
A disputa comercial entre os Estados Unidos e a China vem causando preocupações desde 2018, quando Donald Trump, presidente norte-americano, anunciou o aumento das tarifas de importação sobre produtos chineses para proteger a indústria local. Em 2020, a tensão ganhou novos contornos com a pandemia, e Trump passou a responsabilizar a China pelo coronavírus.
Os temas do noticiário deste ano poderão aparecer na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, mas para se preparar não basta saber os assuntos. É preciso desvendar as habilidades e competências que estão por trás destas informações, segundo especialistas ouvidos pelo G1.
Nesta sexta-feira (18), o G1 publica a quarta reportagem da série “Cai no Enem”. Além das tensões entre os dois países, é possível saber como a pandemia, o racismo, o desmatamento e a seca podem aparecer na prova. Clique nos links abaixo e saiba mais:
Pandemia cai no Enem?
Desmatamento e seca caem no Enem?
Racismo cai no Enem?
Enem em 90 segundos
Tensão EUA X China
No caso da disputa entre os dois países, o que está por trás é a globalização e questões econômicas, tema presente em 12% das questões de geografia no Enem, de acordo com um levantamento do SAS Plataforma de Educação, com base nas últimas dez edições do exame.
“Nos últimos 30 anos, o mundo falou de livre comércio e queda de barreiras, mas hoje ocorre um aumento do protecionismo, com destaque para as duas principais potências, Estados Unidos e China, que aumentaram suas práticas anti-mercado nos últimos anos”, explica André Freitas, gerente de projetos pedagógicos do Sistema pH.
“A gente viu no começo da crise sanitária um processo muito difícil em que 90% dos EPIS [equipamentos de proteção individuais] eram produzidos na China e os outros países ficaram sem fornecimaneto. Já havia esse movimento do Trump, o ‘America First’, de voltar as indústrias para a América. Outros países já estão mobilizados para fazer o mesmo, como Alemanha e França, quebrando o conceito da globalização com tudo sendo produzido na China”, afirma Ademar Celedônio, diretor de Ensino e Inovações Educacionais do SAS Plataforma de Educação.
ONU alerta para perigo de nova guerra fria entre EUA e China
Assim, o tema deve surgir na prova, colocando o aluno frente a uma situação-problema para que ele mostre a habilidade em compreendê-la e propor uma intervenção ou chegar a uma resposta correta.
Segundo Tom Carvalho, professor de geografia do curso Objetivo, caso o tema apareça o Enem 2020, ele não exigirá conhecimentos muito específicos dos candidatos.
“Se cair, será algo bem genérico”, afirma Carvalho. “O aluno precisa saber que é uma guerra comercial, e não militar. É protecionista, dos EUA contra a China. Não foi a China que produziu, foi o EUA porque está em desvantagem. Não tem relação com conter o comunismo da China, mas sim em preservar a balança comercial dos EUA”, explica.
Para se preparar para as atualidades que caem no Enem, as dicas são:
Saiba como é feito o Enem: as questões que compõem o exame precisam ser pré-testadas, ou seja, elas “caem” em outras provas para que se conheça o nível de dificuldade de cada questão. Depois de testadas, elas entram no Banco Nacional de Itens (BNI) e são escolhidas aleatoriamente para cada exame. Este processo leva tempo, o que torna muito difícil que um acontecimento do segundo semestre de 2020 caia na prova, por exemplo
“Atualidade” não é sinônimo de “notícia de hoje”: um tema atual pode estar sendo discutido na sociedade há alguns anos, como é o caso da guerra comercial entre EUA e China. Caso o assunto apareça na prova, pode dar a impressão ao aluno de que foi motivado pelo agravamento da crise entre os dois países por causa da pandemia, mas na verdade já é algo que vem sendo discutido há alguns anos.
Identifique as habilidades e competências por trás de um fato: a notícia em si não vai ser cobrada no Enem, então não será preciso saber, por exemplo, exatamente quais as restrições foram impostas, mas é provável que a prova cobre uma reflexão mais abrangente sobre a situação.
Enem 2020 será aplicado em 17 e 24 de janeiro (prova impressa) e 31 de janeiro e 7 de fevereiro (prova digital).
Estude com o G1
Algumas matérias publicadas no G1 podem ajudar o estudante a saber mais sobre estes temas. A dica é sempre ler as notícias procurando os conceitos por trás das informações.
Guerra comercial: entenda as tensões entre China e EUA e as incertezas para a economia mundial
EUA e China assinam fase 1 de acordo para aliviar guerra comercial
China x EUA: as duas potências podem estar à beira de uma batalha de ‘olho por olho, dente por dente’
Estude com o podcast ‘O Assunto’
Alguns episódios do podcast ‘O Assunto’ também abordam o tema e podem ajudar o aluno a compor o repertório para a prova. Confira:
Vídeos: EUA e China
ONU alerta para perigo de nova guerra fria entre EUA e China
Entenda os ataques dos EUA contra a China na ONU
Guga Chacra: ‘Tudo indica que EUA e China virão a se tornar inimigos’
Adicionar aos favoritos o Link permanente.