Hotéis da região de Ribeirão Preto mudam rotina para receber hóspedes durante a pandemia


Por pertencerem ao setor de serviços, hotéis e pousadas podem operar com 40% da capacidade. Procura nas pousadas aumentou no mês de dezembro. Hotéis mudam rotina para receber hóspedes no fim de ano
Os hotéis e pousadas da região de Ribeirão Preto mudaram a rotina de limpeza e de atendimento para operar com 40% da capacidade, como determina o Plano São Paulo. Em Ribeirão Preto (SP), as limpezas dos quartos têm sido feitas com um intervalo maior de tempo, para evitar o contato entre equipe e hóspedes.
Nas pousadas, a procura tem aumentado neste fim de ano. Willy Matias Nucha, administrador de uma estância em Barrinha (SP), conta que os hóspedes procuram fugir da aglomeração das cidades.
“Estamos conscientes da pandemia e por isso estamos nos adaptando com espaçamento de mesa, álcool em gel, luvas e máscaras, para que a gente possa prezar pelo conforto do cliente e respeitar as normas”, explica.
O administrador Willy Matias Nucha gerencia uma estância em Barrinha (SP).
Reprodução/EPTV
A estância que Willy gerencia pode acomodar cerca de 50 pessoas com segurança. Nas áreas comuns, há controle de acesso e também vale a ocupação de apenas 40% da capacidade do espaço.
Os quartos são distantes uns dos outros e as áreas de convívio estão demarcadas.
Para este Ano Novo, as acomodações disponíveis já estão ocupadas.
“A gente já teve fim de ano com muitas famílias aqui. Infelizmente essa realidade nos assola, mas eu creio que com adaptações e com as medidas sanitárias a gente consiga se adaptar”, diz.
Já em Ribeirão, um dos hotéis que têm o perfil de receber hóspedes que vão até a cidade a trabalho reforçou o esquema de limpeza. Os quartos habilitados a receber o público estão distantes uns dos outros.
Alexandre Navarro explica que as camareiras têm entrado menos nos quartos para evitar contato
Reprodução/EPTV
As máscaras são obrigatórias em todos os ambientes e há sinalização até mesmo para não haver contato dos funcionários com os hóspedes.
“A limpeza nos quartos ocorre a cada três dias. A troca de toalhas acontece conforme solicitação, mas essa medida é para evitar que a camareira esteja sempre no quarto, o que possibilitaria a contaminação”, explica Alexandre Navarro, gerente do hotel.
Dos quartos disponibilizados por eles, 90% já estão reservados para o período de festa, mesmo sem os bufês de Natal e Ano Novo.
Diretrizes a seguir
Além das recomendações gerais do governo estadual para a fase amarela, o setor hoteleiro tem outras diretrizes mais específicas a seguir.
Para o coffee break, por exemplo, devem ser feitos kits individuais para reduzir o contato de pessoas próximas às mesas de serviço.
Nas áreas de lazer, os móveis têm que ficar afastados. Os hotéis também devem orientar os hóspedes a permanecerem afastados nesses locais.
A equipe de serviço de quarto deve cobrir bandejas, protegendo os alimentos durante o transporte até o quarto. Ao término das refeições, os utensílios devem ser dispostos do lado de fora do quarto pelo hóspede.
O lixo não pode ficar acumulado. Todas as lixeiras devem ter sacos plásticos.
Objetos como jornais, revistas e livros devem ser retirados de espaços comuns e dos quartos para evitar a contaminação indireta.
Assista ao EPTV 2 de quarta-feira (16)
Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca
Adicionar aos favoritos o Link permanente.