Indaiatuba tem lotação máxima em leitos UTI Covid-19 e depende de vagas em outros municípios


Cidade possui, nesta segunda (14), 34 internados nas unidades de terapia intensiva. Prefeitura afirma que, se for necessário, vai manter pacientes estabilizados em salas de emergência até a regulação pela central do estado. Hospital Augusto de Oliveira Camargo em Indaiatuba
Reprodução/EPTV
Indaiatuba (SP) atingiu, nesta segunda-feira (14), 100% de lotação nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. No início do mês, a prefeitura chegou a contratar leitos externos em hospital particular de Campinas, mas estes também foram ocupados.
Segundo o balanço da administração municipal, 49 pacientes estão internados em leitos clínicos e 34 em UTI. Do total, 58 são pessoas fizeram testes que deram positivo para Covid-19 e 25 aguardam a confirmação.
Por conta da pressão na rede municipal, a Secretaria de Saúde afirma que os pacientes que necessitarem de internação em UTI ficarão em uma sala de emergência até a transferência para um hospital de referência pela Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross), do governo estadual. “Neste momento não há pacientes nesta situação”, completou.
A Cross regula os leitos em todo o Sistema Único de Saúde (SUS) no estado. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o primeiro critério é enviar o paciente para o hospital mais próximo da cidade em que ele mora, independentemente da unidade ser administrada pelo próprio estado ou pelos municípios.
Se não houver leitos disponíveis na unidade mais próxima, a Cross tenta vaga em outras cidades até encontrar um hospital para receber o paciente.
Ocupação
O município possui leitos vagos em enfermaria (clínicos), que são destinados a pacientes com quadro menos grave de saúde. A ocupação neste caso é de 88% no Hospital Municipal Augusto de Oliveira Camargo (Haoc), por exemplo. (Veja, abaixo, a taxa de ocupação para cada unidade.)
Leitos Clínicos
Haoc: 88%
Hospital Santa Ignês: 50%
UTI
Haoc: 100%
Hospital Santa Ignês: 100%
Leitos externos: 100%
Contratação de leitos externos
Em 1º de dezembro, a prefeitura confirmou que contratou oito estruturas em um hospital privado de Campinas para reforçar a oferta municipal. No entanto, todas essas vagas já foram preenchidas, o que gerou a pressão na rede municipal.
Outra medida foi a redução do número de cirurgias eletivas (agendadas) para proteção dos profissionais de saúde e dos pacientes.
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas
Adicionar aos favoritos o Link permanente.