Interpol ajuda a investigar ataques de ódio a vereadores de Joinville

A investigação para apurar os responsáveis pelos ataques de ódio a vereadores de Joinville, no Norte de Santa Catarina, ultrapassou as fronteiras e envolve, agora, a Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal).

Interpol foi acionada para auxiliar na investigação dos ataques de ódio contra vereadores de Joinville – Foto: Divulgação/ND

A organização internacional foi acionada pela Polícia Civil após o registro de provedor de onde partiram os ataques ter sido identificado na Suíça. A vereadora Ana Lúcia Martins, primeira vereadora negra eleita na cidade e o vereador Alisson Júlio, o mais votado de Joinville, foram alvos de ataques de ódio e ameaças de morte.

Um dos e-mails enviados atacando os vereadores foi criado com registro de provedor do país europeu, mas nenhum detalhe da investigação no Brasil e na Suíça foram divulgados pela polícia, que mantém todo o caso em sigilo. A advogada de Ana Lúcia confirmou o auxílio da Interpol na investigação.

A organização deve solicitar informações sobre o usuário diretamente à empresa responsável pelo provedor e, com isso, avançar na identificação.

Ana Lúcia sofreu ameaças de morte nas redes sociais dias após a eleição. O responsável pelos ataques foi identificado e deve responder por injúria racial, ameaça de morte e racismo. Dias após a primeira ameaça, a vereadora e Alisson foram alvos de novos ataques, desta vez, por meio dos e-mails que estão sendo rastreados na investigação que se tornou internacional.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.