Jovem denuncia assédio na web após homem se masturbar na frente dela: ‘Impotência’


Caso foi registado como ato obsceno em termo circunstanciado na Delegacia Sede de Guarujá, no litoral paulista. Jovem desabafou sobre caso em um relato nas redes sociais
Reprodução
Uma jovem de 21 anos denunciou um episódio de assédio que alega ter sofrido enquanto aguardava um ônibus em um ponto de parada em Guarujá, no litoral de São Paulo. A universitária Ysslam Hammoud conta que estava sozinha, quando viu o homem de 37 anos se masturbando em direção a ela. Em entrevista ao G1 nesta quinta-feira (17), a jovem relata que sentiu ‘impotência’ ao passar pela situação.
Ysslam estava na Avenida Leomil, no bairro Vila Maia, por volta das 10h desta terça-feira (15), esperando o ônibus para ir ao trabalho. O homem se aproximou de bicicleta e parou no meio fio. A jovem conta que ele ficava olhando em direção a ela, e depois de dez minutos, passou a se sentir incomodada com a situação. Quando ela olhou para o rapaz novamente, percebeu que ele se masturbava na direção dela.
“Quando me vi nessa situação, já em choque, comecei a gritar com ele: ‘você está louco? Perdeu a noção?’. A segunda reação que tive foi ir para cima dele, o empurrando da bicicleta direto para a rua”, relembra a jovem. Ela voltou a empurrar o suspeito, que conseguiu fugir do local.
Ela revela que contou com a ajuda de pessoas que passavam pela avenida, que começaram a gritar para que pegassem o homem. A Polícia Militar, que fazia ronda pelo bairro, conseguiu conter o rapaz, que agia de forma suspeita, fugindo com a bicicleta. Ysslam foi até o local onde eles estavam, reconheceu o homem e foi para a delegacia registrar o caso.
Apesar de registrar a ocorrência, ela relata que o desdobramento no local não foi o esperado. Ysslam salienta que foi muito bem tratada pelos policiais militares, que até informaram que o suspeito era reincidente, que já havia outras denúncias relacionadas a ele. Mesmo assim, o rapaz foi solto, e o caso registrado como ato obsceno, o que causou revolta na jovem, que denunciou, também, nas redes sociais.
“Foi assim que o assediador saiu pela mesma porta que eu, a vítima”, desabafa a universitária.
Vítima contou sobre caso em diversas postagens na web
Reprodução
No termo circunstanciado, registrado na Delegacia Sede de Guarujá, consta que o suspeito negou ter se masturbado em frente à vítima, mas confirmou ter exibido a genitália para ela. Ele ainda alegou que não sabia informar o motivo, apenas que ‘veio uma vontade forte na sua cabeça’.
Ainda no termo, é reiterado que ‘constata-se a prática do crime de ato obsceno, eis que, embora reprovável e repugnante, a conduta não foi um ataque contra uma pessoa. Tratando-se de infração de menor potencial ofensivo’. O caso foi registado como ato obsceno.
A liberação do rapaz e a forma como o caso foi registrado fez com que a universitária falasse sobre o caso, também, nas redes sociais. Ela decidiu usar o espaço para deixar uma alerta.
“A sensação que eu sinto é de impotência. De que a minha liberdade ou de outras mulheres não valem nada. Eu acredito que devemos, sim, denunciar e expor nosso caso. Não devemos tolerar e ser a favor desses casos, temos que fazer nosso papel, por mais que a justiça seja falha!”, reiterou a jovem.
Polícia Civil
O G1 procurou a Secretaria de Segurança Pública (SSP). Em nota, a pasta informa que, após ouvir as partes na delegacia do município, a autoridade responsável, que tem autonomia para decidir de acordo com sua convicção jurídica, analisou os fatos, indícios postos à sua disposição e determinou o registro de um termo circunstanciado de ato obsceno. O procedimento será encaminhado ao Jecrim.
A reportagem questionou, também, se havia alguma outra denúncia de assédio ou ato obsceno envolvendo o autor, mas não obteve retorno até a última atualização da matéria.
Jovem denunciou que homem se masturbou em frente a ela em uma rua de Guarujá, SP
Reprodução
VÍDEOS: As notícias mais vistas do G1
Adicionar aos favoritos o Link permanente.