Lagoinha: No aniversário de BH, historiadores revelam os segredos bairro que foi o berço da capital


O bairro une a religiosidade, cultura e lazer. Casarões no bairro Lagoinha guardam histórias do surgimento de BH.
TV Globo/Reprodução
A rua Itapecerica, no bairro Lagoinha, na Região Noroeste de BH, preserva um pouco da formação histórica de Belo Horizonte. Os casarões são a materialidade do espaço onde viviam as famílias de pose da época.
Também no bairro, as casas quase todas iguais, mostram de onde veio a força criadora da cidade. Nelas viveram operários que chegaram do interior do estado para construir Belo Horizonte.
Segundo o historiador Raul Lanari, os construtores da cidade chegavam pelas margens do trem. Por isso, a cidade se desenvolve na região da Lagoinha. “Eles retiravam as pedras do bairro e levavam para construir a cidade”, contou.
Casas que preservam a identidade da criação de Belo Horizonte.
TV Globo/Reprodução
O bairro é reduto da religiosidade, da cultua e do lazer. Em 1914 foi erguido o Santuário de Nossa Senhora dos Pobres. Já em 1948, a criação do mercado popular fortaleceu as atividades comerciais. Até hoje, a Praça de Peixe é uma referência na capital por causa das tradicionais peixarias.
A cultura está enraizada por meio dos samba. Vários mestres moraram e ainda moram no bairro. E não é à toa, já que o primeiro bloco de carnaval de BH foi formado no bairro; o Leão da Lagoinha.
Veja os vídeos mais assistidos do G1 Minas nos últimos dias:
Adicionar aos favoritos o Link permanente.