Lamborghini SC20 é único e não tem teto, mas tem V12 de 770 cv

Divulgação/Lamborghini

A Lamborghini vinha testando um supercarro misterioso e sem teto nos últimos meses. Agora sabemos como ele é até seu nome: Lamborghini SC20. Trata-se de um exemplar único e exclusivo, que estaria posicionado na linha da marca entre os modelos de produção e os de competição.

Desenvolvido pela Squadra Corse, a divisão de corrida interna da empresa, o SC20 foi construído a pedido de um cliente que participou ativamente de quase todas as etapas do processo de criação do design.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 7,90

A Lamborghini explicou que o objetivo do projeto era transferir algumas das lições aprendidas na pista (especialmente aquelas relacionadas à tecnologia aerodinâmica) para um carro de rua legalizado e que esteja de acordo com sua atual linguagem de design sem copiar um modelo existente.

Divulgação/Lamborghini

A marca não revelou a identidade do cliente que encomendou o SC20, ou para qual país ele será enviado, mas apontou que o carro será homologado para as ruas, e não será restrito ao ambiente de pista.

Mitja Borkert, chefe do departamento de design da empresa, citou o Diablo VT Roadster, o Aventador J, o Veneno Roadster e o Concept S como fontes de inspiração. 

A dianteira do SC20 é menos angular que a do Aventador S , embora siga a identidade visual clássica da Lamborghini. O corpo de fibra de carbono foi polido e alisado manualmente pelos engenheiros aerodinâmicos para fornecer fluxo de ar ideal para o melhor desempenho, garantindo uma direção confortável ao ar livre mesmo em altas velocidades. 

Continua após a publicidade

Divulgação/Lamborghini

O divisor frontal pronunciado é emoldurado por duas aletas e as entradas de ar no capô são inspiradas nas do Huracán GT3 EVO, enquanto as laterais esculpidas refletem as soluções adotadas no Essenza SCV12. A traseira musculosa tem uma grande asa de fibra de carbono que pode ser ajustada em três posições diferentes: carga baixa, média e alta.

Visto de lado, o SC20 é caracterizado pela ausência total de um para-brisa, um layout que oferece uma visão desobstruída do estofamento de Alcantara e fibra de carbono no painel. A fibra de carbono é usada também nos painéis das portas, console central e acabamento do volante, além do monocoque. 

Divulgação/Lamborghini

As maçanetas das portas, por outro lado, são feitas de alumínio maciço. Por último, as saídas de ar foram criadas com tecnologia de impressão 3D.

O console central abriga uma tela sensível ao toque inclinada que exibe o software de infoentretenimento que a empresa italiana desenvolveu internamente e lançou no Huracán Evo.

Divulgação/Lamborghini

O superesportivo é alimentado por um motor V12 de 6,5 litros com aspiração natural que proporciona 770 cv de potência e incríveis 73,4 kgfm de torque casado com uma transmissão automátizada de sete velocidades.

O desempenho de 0 a 100 km/h e velocidade máxima ainda não foram revelados, mas com esse conjunto é seguro afirmar que chegará da imobilidade a 100 km/h em menos de três segundos. 

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Capa 739

Continua após a publicidade

Adicionar aos favoritos o Link permanente.