Leo Jaime: bailado sem preconceito

Cantor, ator, jornalista e agora praticante de balé, Leo Jaime, 60 anos, voltou à sua adolescência e se matriculou nas aulas da dança clássica, deixando para trás todo o preconceito que tinha com seu físico rechonchudo. A seguir, ele fala sobre a repercussão — positiva e negativa — de seus vídeos.

Por que escolheu o balé? As pessoas não sabem, mas eu comecei a fazer balé aos 18 anos. Já fiz todo tipo de exercício físico, mas a dança foi o único que me deu o preparo que eu estava procurando.

Ficou surpreso com a repercussão de seus vídeos? Não acho um absurdo as pessoas serem preconceituosas, pois fomos criados numa estrutura que normaliza os preconceitos. Temos de desconstruir isso. Sabe quem faz balé? Evander Holyfield, pentacampeão de pesos pesados. Quero ver alguém falar na cara dele que é gay porque faz balé.

Sente preconceito também pela aparência física? Sim, eu tinha vergonha de me matricular numa academia. Ter participado da Dança dos Famosos me ajudou a ter vontade de fazer balé.

Publicado em VEJA de 23 de dezembro de 2020, edição nº 2718

Continua após a publicidade

Adicionar aos favoritos o Link permanente.