Mais de 15 mil testes para Covid-19 em SC estão represados

Segundo o boletim epidemiológico desta quinta-feira (17), 15 mil testes da Covid-19 colhidos em Santa Catarina estão na fila para análise. De acordo com a SES (Secretaria de Estado da Saúde), a explicação para isso é “a alta demanda de amostras e a dificuldade do cadastramento dos resultados no laboratório da Fiocruz Ceará – Fundação Oswaldo Cruz, o qual vem auxiliando Santa Catarina”.

Mais de 15 mil testes para Covid-19 em SC estão represados – Foto: Flavio Tin/Arquivo/ND

Esta é o mais recente represamento de dados dos testes para Covid-19 desde o início da pandemia, o que impacta na demora para a divulgação dos resultados mais próximos às datas de coleta das amostras.

“Os problemas no departamento de informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS) do Ministério da Saúde têm gerado lentidão no Sistema GAL (Gerenciador de Ambiente Laboratorial) – ocasionando atrasos tanto na triagem das amostras, como na liberação dos laudos”, explica a Secretaria de Estado da Saúde.

Em nota, a SES informou que os números divulgados nesta quinta são referentes aos últimos 45 dias, e que está em contato com coordenadores das plataformas de cadastramento para sanar o problema.

Os cadastros são feitos na plataforma da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), que tem capacidade para realização de 7 mil testes diários, mas estão recebendo cerca de 10 mil, causando o represamento.

A SES informou que “as equipes estão trabalhando para solucionar esse problema”, mas não há previsão de quando isso ocorra.

Número de amostras

Em novembro, o quantitativo de exames realizados em Santa Catarina foi de 100 mil amostras e em dezembro os números parciais já chegaram a 54 mil amostras recebidas.

As amostras enviadas para as plataformas parceiras são de aproximadamente 70 mil amostras no mês de novembro e até o momento 36 mil em dezembro.

Números atualizados

Nesta quinta-feira (17), Santa Catarina chegou a 448.162 casos confirmados de Covid-19 e 4.598 mortes. Outras 416.403 pessoas já estão recuperadas da doença. A taxa de letalidade está em 1,03%.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.