Milhares de bielorrussos vão ao funeral de um opositor morto após ser preso

Cerca de 5.000 pessoas participaram nesta sexta-feira (20) em Minsk do funeral de um ativista da oposição, de 31 anos, que morreu no hospital na semana passada após ser preso pela polícia.

Amigos e desconhecidos se encontraram perto de uma igreja dos subúrbios de Minsk, muitos levaram flores vermelhas e brancas – as cores da oposição -, que depois depositaram no cemitério do norte da capital onde Roman Bondarenko foi enterrado.

Este ex-soldado foi detido pela polícia na quarta-feira passada em Minsk após um confronto entre habitantes e homens mascarados que retiravam fitas vermelhas e brancas colocadas no pátio de um edifício.

Ao sofrer lesões cerebrais, morreu no dia seguinte em um hospital, com fortes suspeitas de ter sido agredido.

A oposição bielorrussa está há mais de três meses exigindo a renúncia do presidente Alexander Lukashenko, reeleito para um sexto mandato em agosto, apesar das acusações de fraude.

As manifestações semanais dos domingos reuniram mais de 100.000 pessoas em Minsk, um recorde na história deste país.

No entanto, a mobilização diminuiu nas últimas semanas.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.