‘Minha mãe veio para a sala e falou ‘Meu Deus!’’, lembra rapaz sobre o momento em que a mãe foi atingida por tiro


Eunice Veiga foi baleada quando estava cozinhando. Polícia Civil já esteve na casa para identificar de onde partiu o disparo. O filho de Eunice Veiga, de 59 anos, que morreu após ser atingida por um tiro no pescoço, contou que a mãe chegou a pedir socorro para a filha depois de ser atingida e que todos se mobilizaram para levá-la ao hospital, mas que ela não sobreviveu por causa da gravidade dos ferimentos. Ela foi atingida na cozinha de casa, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio.
“Quando aconteceu, a minha mãe veio para a sala e falou ‘Meu Deus!’ ou algo neste sentido. Quando a minha irmã se deparou com ela, que tinha sangue saindo pela boca e pela garganta, ela se desesperou. Minha irmã correu para a rua e falou com as pessoas para tentar ajudar. Logo elas vieram e a levaram para o hospital. Mas, infelizmente, os ferimentos eram internos, não só externos, e ela não resistiu”, contou Davi Carlos Veiga.
A vítima foi levada para o Hospital Estadual Alberto Torres, também em São Gonçalo, mas não resistiu aos ferimentos.
O corpo de Eunice foi enterrado no último domingo (13) no Cemitério Parque da Paz. Ela era missionária religiosa e deixa cinco filhos e seis netos.
A Polícia Militar contou que só ficou sabendo do ocorrido quando Eunice chegou ao hospital e que acionou a Polícia Civil.
A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) assumiu a investigação do caso e já esteve na casa para tentar identificar o local de onde partiu o tiro que atingiu a moradora.
Eunice Veiga, 59 anos, estava na cozinha de sua casa quando foi atingida no pescoço
Reprodução
VÍDEOS: as notícias do Rio e da Região Metropolitana
Adicionar aos favoritos o Link permanente.