Motorista de aplicativo denuncia ter sido agredido por taxistas com paus e tijolo na rodoviária de Gurupi


Homem teve carro danificado durante a confusão. Polícia Militar levou os envolvidos para a delegacia e caso está sendo investigado. Motorista de aplicativo diz ter sido agredido por taxistas
O motorista de um aplicativo de transportes denunciou que foi agredido por taxistas na rodoviária de Gurupi, no sul do estado. Com o olho roxo e um ferimento na cabeça, o homem conta que tinha acabado de deixar um passageiro e estava parado em um estacionamento quando foi surpreendido por dois agressores com pedaços de pau e até tijolos.
“Deixei ele lá [o passageiro], tirei o carro do embarque e desembarque e coloquei lá fora, no público, porque lá é estacionamento público. Eles chegaram dizendo que eu estava tomando o ponto deles e foram partindo para cima, abrindo a porta. Um veio com uma tora de pau e outro com tijolo, quando a polícia chegou lá eu estava todo melado de sangue”, contou o motorista João Morais.
O carro teve o para-choque da frente e o para-brisas quebrados. Partes do interior do veículo também foram danificadas. A Polícia Militar informou que esteve no local e levou todos os envolvidos para a delegacia, onde foi feito um registro pelos crimes de lesão corporal, dano e ameaça.
Homem ficou com um ferimento na cabeça após ser agredido
Reprodução/TV Anhanguera
O Luciel Ramos, que também é motorista de aplicativo, conta que também já sofreu ameaças. “Um dia um também veio tomar satisfação comigo, bateu no vidro do meu carro. Eles alegam que a gente tem que ficar a 100 metros da rodoviária. Como que um passageiro vai carregar uma bolsa, uma mala por 100 metros? Então, a gente está sendo coagido”, disse.
Em Gurupi são cerca de 70 taxistas e parte deles fica na rodoviária. O sindicato que representa a categoria disse que repudia qualquer tipo de violência e vai apurar o caso. A Agência Municipal de Trânsito e Transporte de Gurupi informou que não fiscaliza os aplicativos de transporte de passageiros porque não existe uma lei municipal específica para o seguimento.
A Polícia Civil informou que o fato foi registrado e o caso encaminhado à 4ª Delegacia de Especializada de Repressão a Infrações de Menor Potencial Ofensivo (DEIMPO-Gurupi) para que seja investigado.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.