Operação cumpre mandados na Câmara de Vereadores de Arapongas, casas e escritórios de suspeitos de fraudes à licitação


São cumpridos 12 mandados de busca e apreensão em gabinetes de servidores da Câmara, em casas e escritórios de empresários. Essa é a segunda fase da Operação Control Z. Câmara de Arapongas é alvo de operação do Ministério Público
Câmara de Vereadores de Arapongas/Divulgação
Doze mandados de busca e apreensão são cumpridos em Arapongas e Maringá, no norte do Paraná, contra uma possível organização criminosa suspeita dos crimes de fraude à licitação, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro, nesta quinta-feira (17).
Três mandados são cumpridos em gabinetes de servidores na Câmara Municipal de Arapongas, sete em residências, dois em escritórios e três em empresas investigadas.
Essa é a segunda fase da operação Control Z, que investiga contrato firmado pela Câmara de Arapongas com uma empresa de Maringá para digitalização de documentos da casa legislativa.
O contrato foi firmado em 2013 e, segundo o Ministério Público do Paraná (MP-PR), os empresários envolvidos efetuavam pagamentos de propina para continuidade do contrato e obtenção de aditivos.
Conforme o MP-PR, há a suspeita que os pagamentos de propina chegaram a R$ 22 mil entre 2015 e 2016.
Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.