Padrasto que estuprava enteada como ‘suposto ritual espírita’ é indiciado em Uberlândia


Polícia Civil investigou denúncia feita por mãe da vítima de 16 anos. Crimes ocorreram na zona rural por cerca de dois anos; homem fugiu. Crime foi investigado pela Delegacia de Polícia Civil de Uberlândia
Vanessa Pires/G1
Um lavrador, de 53 anos, foi indiciado pela Polícia Civil por abusar sexualmente da enteada de 16 anos na zona rural de Uberlândia.
Conforme informou a delegada Lia Valechi, o suspeito cometia o crime há dois anos. Ele dizia que era médium e argumentava com a adolescente que as relações sexuais eram praticadas como ritual para “retirar espírito ruim dela”.
O crime foi descoberto depois que a vítima contou para a mãe, em agosto, e ela fez a denúncia para a Polícia Civil.
Ainda segundo as investigações, a menina passava por um momento difícil e o autor usava a situação para cometer estupro, em um quarto da casa, distante da vista da esposa. Ele também ameaçava matar a adolescente se ela contasse sobre o crime.
A delegada informou ainda que a família mora em uma fazenda perto da BR-365 e assim que a vítima contou do crime, o homem desapareceu. O G1 perguntou se o homem está preso, mas até a última atualização da reportagem não houve retorno.
A vítima tem também uma irmã, de 20 anos, e um irmão de quatro anos, que é filho do suspeito. A polícia apurou que ambos não foram violentados. A mãe foi ouvida na Delegacia da Mulher e disse que até agosto não sabia dos abusos.
O inquérito será encaminhado para o Poder Judiciário.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.