Paes encontrará Bolsonaro e diz esperar plano nacional de imunização

O prefeito eleito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), anunciou na manhã deste sábado, 12, em uma live, que se encontrará com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na próxima terça-feira, em Brasília. Segundo Paes, os dois falarão sobre “temas de interesse da cidade”. Ele afirmou que a prioridade no início da gestão, em 1° de janeiro de 2021, será o combate ao novo coronavírus. Questionado por um internauta sobre a possibilidade de compra da vacina, Paes disse esperar por um plano nacional de imunização. “É importante que o governo federal comande este processo”, ressaltou. Em seguida, o democrata contou que, em breve, anunciará medidas emergenciais para abertura de leitos na rede municipal para atender pacientes com Covid-19.

Eduardo Paes, que administrou o Rio por dois mandatos (2009-2016), estará com Bolsonaro em meio a uma guerra entre o presidente e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) justamente em relação à vacina. Os dois serão possíveis adversários nas eleições de 2022 para o Palácio do Planalto e o tucano poderá ter apoio do DEM de Paes. Na última sexta-feira, Doria reagiu a uma suposta Medida Provisória que estaria sendo planejada por Bolsonaro para centralizar a distribuição de vacinas contra o coronavírus no país.

“Os brasileiros esperam pelas doses da vacina, mas a União demonstra dose de insanidade ao propor uma MP que prevê o confisco de vacinas. Esta proposta é um ataque ao federalismo. Vamos cuidar de salvar vidas e não interesses políticos”, escreveu João Doria nas redes sociais. O governador afirmou, na semana passada, que a Anvisa aprovará a vacina Coronavac, do laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantã, de São Paulo, até 15 de janeiro.

Como pano de fundo, há ainda a disputa da presidência da Câmara dos Deputados. Eduardo Paes teve como maior avalista de sua candidatura o atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O deputado pretendia disputar a reeleição. No entanto, o Supremo Tribunal Federal (STF) vetou a possibilidade de recondução na Câmara e no Senado. A Corte considerou constitucional apenas a reeleição em legislaturas diferentes, quando tomam posse novos deputados e senadores, como já é permitido hoje. Bolsonaro e Maia se articulam para emplacar seus indicados.

Será a primeira vez que Paes encontrará Bolsonaro depois das eleições. O presidente declarou apoio ao adversário dele no segundo turno, o atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos). Após a vitória, há quase um mês, Paes ligou para Bolsonaro. O prefeito eleito já se reuniu com o governador em exercício Cláudio Castro (PSC). “Acabou a eleição. Vamos olhar para frente e trabalhar com os demais níveis de governo. Não estamos aqui para fazer politicagem, brigando desnecessariamente”, disse Paes.

Continua após a publicidade

Adicionar aos favoritos o Link permanente.