Píton gigante é resgatada pelos bombeiros no Ceará e recebe cuidado veterinário


Animal se aproximou de residências na cidade de Mucambo e assustou moradores, conforme o Corpo de Bombeiros. Animal não nativo foi resgatado no Ceará e recebe atendimento veterinário
Corpo de Bombeiros/Divulgação
Uma serpente píton birmanesa albina (Python molurus bivittatus albinu) foi resgatada em Mucambo, no interior do Ceará, após “assustar” moradores da cidade, “pois o animal foi avistado próximo às residências”, conforme o Corpo de Bombeiros.
“O animal possuía leves escoriações e foi entregue aos cuidados de uma clínica veterinária na cidade de Sobral, sendo realizada uma avaliação e tomados os devidos cuidados”, relatou o major Mardens Vasconcelos, responsável pelo resgate da serpente.
“A serpente estava em ecdise, que é o processo de troca de pele, quando ela fica com imunidade mais baixa e fica muito sensível. Ela teve esse processo interrompido por causa da captura, mas ela vai receber todo o cuidado e vai ficar bem”, afirmou o veterinário Ildefonso Cavalcante.
O animal não é venenoso, conforme o Corpo de Bombeiros.
Animal exótico
Conforme o Corpo de Bombeiros, a píton birmanesa tem capacidade para abrir a mandíbula o suficiente para para comer uma presa grande como um cervo. Ele é vista com mais frequência no Sudoeste do Brasil e não é típica do interior cearense, onde a píton de quatro metros foi encontrada.
“Esta serpente não é natural da nossa região e muito menos do nosso país. É exótica e por ser albina, exótica e rara. Enquanto o animal se recupera vamos articular o seu traslado e logística para um local adequado a seu porte e necessidades de tratamento e atenção”, afirmou o comandante do Corpo de Bombeiros em Sobral, tenente-coronel Moraes.
Assista às notícias do Ceará no G1 em 1 minuto:
Adicionar aos favoritos o Link permanente.