Planejamento financeiro 2021: especialistas em Divinópolis alertam sobre desafios em meio à pandemia


Eles ainda deram dicas de como não entrar o ano no vermelho. As dificuldades financeiras também podem criar outros complicadores, afirmou uma psicóloga consultada pelo G1. Planejamento financeiro é chave para começar o ano de 2021 sem agravantes nas finanças; imagem de arquivo mostra pessoa fazendo cálculos
Kelly Sikkema/Unsplash
Os desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus, que mudou hábitos de consumo em todo o mundo, precisam ser levados em consideração para o planejamento financeiro de 2021, segundo especialistas em finanças. O G1 conversou com alguns profissionais e eles deram dicas de organização para que as finanças não sejam um problema no ano que está prestes a começar.
Segundo a psicóloga Amanda Amaral, também consultada pela reportagem, as dificuldades financeiras podem acarretar danos psicológicos, principalmente neste momento atípico de pandemia.
Poupar
A primeira dica do educador financeiro Anderson Gonçalves, e do economista Célio Tavares, é não gastar mais do que se ganha. Para a vendedora Jessica Lopes, essa é a dica mais difícil, já que todos os meses ela ultrapassa em gastos o valor do salário. Isso porque ela tem um cartão de crédito com saldo maior que a própria remuneração.
“Eu nunca consigo me comportar com o cartão de crédito e acho que vou ter que começar o ano cancelando ele. Posso ter sérios problemas de endividamento”, afirmou.
Para Anderson, de fato, os problemas podem ser graves, já que com o poder de compra nas mãos e sem o dinheiro para pagar os gastos efetuados, o resultado, inevitavelmente, será a dívida. “Não há outro resultado para essa operação matemática e isso está claro para todos. Neste momento de pandemia todos devem ter consciência de seus salários e gastarem apenas o que ganham. E digo mais: devem gastar bem menos do que se ganha”, orientou.
O educador financeiro sempre orienta que as pessoas devem poupar e guardar dinheiro para eventuais surpresas desagradáveis. A empresária Letícia Sousa disse que mesmo que ela tente, não consegue guardar nada dos rendimentos. “Eu sempre tento e é muito válida essa dica, mas não sobra nada para guardar. Tudo que ganho já tem destino certo”, afirmou.
Mesmo que não sobre por conta do momento atual de pandemia, o educador alerta que mesmo que seja pouco, poupar deve ser uma prioridade. “Sem dúvidas ter uma reserva de capital pode tirar qualquer um de um sufoco. Entendo que o momento não é ideal, mas a dica é: tente poupar”, enfatizou.
Aplicação do 13º salário
Muitos trabalhadores que recebem o 13º salário têm a sensação de se tratar de um dinheiro extra e assim gastar com itens supérfluos.
O economista Célio Tavares orienta que pagar contas fixas pode ser um grande desafio de 2021, já que a tendência é de aumento em despesas básicas como a própria conta de energia. Por isso, ele aconselha que as pessoas guardem o valor recebido para quitar os impostos como Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), além de investir em compras de materiais escolares para os filhos, como é o caso de muitas famílias.
“Mesmo em épocas normais essa dica sempre foi dada. As pessoas devem guardar o 13º para pagar essas contas fixas de início de ano. Com a pandemia isso é ainda mais necessário, pois tudo tem registrado aumento como a energia e os itens alimentícios. E sempre estamos tendo uma surpresa diferente, então é bom se precaver”, orientou.
Agravantes
Segundo a psicólogo Amanda Pz Amaral, o endividamento da população pode provocar sérios danos psicológicos como a depressão e aumento do índice de ansiedade, problemas considerados graves pela profissional.
“Na atual conjuntura o que precisamos é tentarmos manter em dia a saúde mental. Certamente a falta de planejamento e o endividamento da população são fatores de adoecimentos mentais. No período de pandemia, quanto mais saudáveis estivermos melhor vamos passar por esse período jamais imaginado. Portanto, meu conselho é que as pessoas se planejem para quitar o que é necessário e, de fato, só invista no que é realmente necessário”, finalizou.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.