‘Precisávamos de um presidente corajoso, macho’, diz Damares sobre enfrentamento à violencia contra mulher, idoso e criança


Ministra da Mulher e primeira-dama da República, Michelle Bolsonaro, estiveram em lançamento do projeto da Casa da Mulher Brasileira em Goiânia. Ministra Damares Alves durante evento de lançamento da Casa da Mulher Brasileira em Goiânia
Reprodução/TV Anhanguera
A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou que só um presidente com a postura de “macho” de Jair Bolsonaro (sem partido) para enfrentar a violência no País. A colocação foi dada durante lançamento do projeto Casa da Mulher Brasileira, neste sábado (12), em Goiânia.
“Vamos enfrentar a violência contra a mulher, contra o idoso, contra a criança. Foi para isso que esse governo veio. Nós precisávamos de um presidente corajoso. Macho. Pois chegou. Acabou. Nós vamos enfrentar os agressores”, afirmou.
Além dela, participaram do evento A primeira-dama da República, Michelle Bolsonaro, governador Ronaldo Caiado (DEM) e do prefeito da capital, Iris Rezende (MDB).
Um levantamento exclusivo feito pelo G1 com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal apontou que o Brasil teve um aumento de 2% no número de mulheres assassinadas no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado.
Ainda de acordo com o levantamento, os casos de feminicídio também subiram. Em contrapartida, os registros de outros crimes relacionados à violência contra a mulher, como agressões e estupros, caíram no país.
Damares Alves, Michelle Bolsonaro, Ronaldo Caiado, e Iris Rezende
Reprodução/TV Anhanguera
Durante o lançamento, a ministra explicou que o objetivo do governo federal com esse projeto é oferecer às mulheres um centro de acolhimento em que elas encontrem diversos serviços importantes. De educação, até assistência para lutar contra a violência doméstica.
“Estamos trazendo hoje R$ 10 milhões para a construção, em Goiânia, da Casa da Mulher Brasileira. O terreno foi doado pela prefeitura e o governo federal está construindo. Não é só um prédio, é uma política. Nesse espaço vai estar defensoria, promotoria, vai ter um alojamento provisório, cela para os agressores, um espaço para crianças”, detalhou.
Goiânia deve ser a primeira cidade a receber o projeto. Em Goiás, estão previstas outras duas unidades: uma em Jataí, no sudoeste goiano, e outra em Cidade Ocidental, no Entorno do Distrito Federal. Cada uma deve custar R$ 800 mil, de acordo com a ministra.
Segundo a ministra, estão previstos ainda investimentos em cursos de qualificação para as mulheres, que também devem ser ministrados na Casa.
Veja outras notícias da região no G1 Goiás.
VÍDEOS: confira últimas notícias de Goiás
Adicionar aos favoritos o Link permanente.