Prefeito de Florianópolis detalha planejamento para vacinação

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), detalhou o planejamento para a vacinação contra a Covid-19, na capital catarinense. Em um vídeo explicativo, Loureiro cita as três vacinas que estão em estágio avançado e são as mais próximas de serem aplicadas no Brasil.

Vacinação ainda não tem previsão para iniciar em Florianópolis – Foto: Jacqueline Lisboa/Metrópoles

A Oxford Astrazeneca, do Reino Unido, apresenta 90% de eficácia e pode variar entre R$ 14,90 e R$ 21,00. A Coronavac, da China, possui 98% de eficácia e tem preço previsto de R$ 55,00. A Pfizer, que já iniciou no Reino Unido, tem 95% de eficácia e valor estimado de R$ 104,00.

Loureiro ressalta que para as três vacinas contra Covid-19 Florianópolis já possui câmaras frias especiais para armazenamento. Para a vacina da Pfizer, que precisa ser resfriada a -70 graus, informa que a prefeitura já está licitando a compra de um refrigerador.

O prefeito lembra que para todas elas é preciso a aplicação de duas doses e diz que não adianta ter doses e não possuir os insumos como seringas e agulhas. “Florianópolis já possui mais de 115 mil agulhas e 325 mil seringas, o que já é suficiente para iniciarmos a vacinação do grupo de risco”.

Primeiro grupo a ser vacinado

Com relação ao planejamento de vacinação, o prefeito explica que primeiro serão vacinados os profissionais de saúde, os idosos acima de 75 anos e os idosos acima de 60 anos que vivem em asilos. O primeiro grupo está estimado em 50 mil pessoas, ou seja, 100 mil doses serão necessárias.

Na sequência, serão vacinados o restante dos idosos, hipertensos, diabéticos, cardiopatas e demais comorbidades que serão divulgadas quando a prefeitura tiver, de fato, a vacina.

Sobre o início da vacinação, Loureiro diz que, infelizmente, não há essa resposta porque depende da aprovação da Anvisa para que as vacinas possam começar a ser utilizadas. Mas salienta que a Florianópolis prefere, e espera, que haja um plano nacional único, mas também não quer ficar refém de possíveis atritos políticos em relação a isso.

“Por isso, Florianópolis já separou R$ 20 milhões caso seja necessário adquirir por conta própria e iniciar a vacinação assim que a Anvisa liberar”, afirma.

O prefeito destaca que todas as informações serão repassadas em tempo real. “Mas enquanto a tão esperada vacina não chega, você precisa fazer a sua parte: continuar se cuidando”, orienta.

Veja o vídeo na íntegra:


Adicionar aos favoritos o Link permanente.