Prefeitura de Macaé anuncia que comprará CoronaVac para vacinar população a partir de janeiro de 2021

Anúncio foi feito no início da tarde desta sexta-feira (11). Intenção do governo municipal é comprar 500 mil doses. Imunização começará por grupos prioritários, afirma o município. Contrato ainda será firmado. A Prefeitura de Macaé, no RJ, anunciou que comprará a vacina contra o novo coronavírus para disponibilizar para a população a partir de janeiro de 2021. A informação foi divulgada na tarde desta sexta-feira (11), através de uma das redes sociais oficiais do município. A vacina que a Prefeitura vai adquirir é a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.
Initial plugin text
A imunização começará por grupos prioritários, afirma o município.
“A intenção do governo municipal é comprar 500 mil doses, com o primeiro lote previsto para chegar em janeiro de 2021, seguindo protocolo de vacinação que prevê a imunização inicial para grupos prioritários como profissionais de saúde, idosos, seguido de pessoas com doenças crônicas”.
De acordo com a Prefeitura, a parceria com o instituto foi firmada na última quinta-feira (10) quando o município recebeu resposta positiva do Butantan para viabilizar a contratualização e o fornecimento das doses.
O G1 entrou em contato com a Prefeitura de Macaé para saber quem poderá receber a dose e aguarda o retorno.
O G1 também entrou em contato com o Instituto Butantan e aguarda outras informações sobre a parceria.
Contato
De acordo com a Prefeitura de Macaé, desde o outubro, o município vem realizando contato com o Butantan a fim de comprar a vacina assim que as doses estivessem disponíveis.
Na noite de quinta-feira (10), o prefeito de Macaé, Dr. Aluízio, compartilhou em uma rede social o último documento enviado para o Instituto Butantan. “Reforçando o contato com o Instituto Butantan”, escreveu Dr. Aluízio.
Initial plugin text
Nesta quinta-feira (10), o governo de São Paulo disse que o Instituto Butantan iniciou o envase da CoronaVac. O processo consiste na etapa final de produção da vacina.
A CoronaVac ainda está na terceira fase de testes, estágio em que a eficácia precisa ser comprovada antes da liberação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
A expectativa é a de conseguir envasar entre 600 mil e 1 milhão de doses por dia. O primeiro lote terá aproximadamente 300 mil doses.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.