Prefeitura de São Paulo cancela tradicional queima de fogos do réveillon


A decisão é para evitar aglomerações em meio à pandemia do coronavírus. No ano passado, a festa reuniu cerca de 2 milhões de pessoas. A Prefeitura chegou a pensar em uma queima de fogos surpresa para evitar aglomeração, mas desistiu da ideia nesta quarta. Queima de fogos marca a passagem de ano no réveillon da Paulista
Ricardo Bastos/Fotoarena/ Estadão Conteúdo
A Prefeitura de São Paulo voltou atrás e cancelou nesta quarta-feira (16) a tradicional queima de fogos do réveillon. A decisão é para evitar aglomerações em meio à pandemia do coronavírus. No ano passado, a festa reuniu cerca de 2 milhões de pessoas.
Em publicação no Diário Oficial do município, a prefeitura cancelou a licitação para a contratação de empresas para a queima de fogos no réveillon 2021.
No último dia 11, ao divulgar os shows da virada do ano, que serão transmitidos pela internet, a prefeitura chegou a anunciar uma queima de fogos surpresa, que seria transmitida de algum lugar cujo endereço não seria anunciado antecipadamente para evitar aglomeração.
No dia 2 de dezembro, foi aberta a licitação para as empresas que quisessem fazer o espetáculo pirotécnico, mas a São Paulo Turismo.
Em 2018, um projeto de lei que proibia a utilização de fogos barulhentos foi sancionado por Bruno Covas.
Os fogos com efeitos visuais, sem estampido, continuam permitidos, assim como aqueles que produzem barulho de baixa intensidade. A lei vale para recintos abertos e fechados, públicos ou particulares, em toda a capital paulista.
Pela lei, também ficou proibida a fabricação e uso de quaisquer artefatos pirotécnicos com efeito sonoro ruidoso. Há multa em caso de descumprimento e será dobrado na primeira reincidência e quadruplicado a partir da segunda nas infrações cometidas dentro de um período inferior a 30 dias.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.