Professor de literatura lista escritores brasileiros que devem estar no Enem 2020


Segundo o professor Rômulo Arantes, é essencial estudar as três grandes escolas literárias brasileira: O romantismo (séculos XIX), modernismo (1920) e o pós-modernismo (1945). Ingresso Universitário: saiba quem são os autores mais cobrados no Enem
A prova de literatura do Enem costuma preocupar os estudantes, que temem a quantidade de conteúdo que terão de esmiuçar para garantir uma boa nota. Mas o professor Rômulo Arantes indica o caminho das pedras e lista aqui os autores que devem cair na prova.
Dica de ouro: em 2020, dois dos mais importantes escritores brasileiros completariam cem anos: o pernambucano João Cabral de Melo Neto e a naturalizada pernambucana e nascida na Ucrânia Clarice Lispector. Não esqueça deles!
Os principais autores para o Enem 2020
Professor Rômulo Arantes, de Literatura
Arquivo pessoal
Segundo o professor Rômulo, é essencial estudar os principais nomes das três grandes escolas literárias brasileira, e não correr o risco de ficar boiando sobre nenhuma delas: o romantismo (século XIX), o modernismo (1920) e o pós-modernismo (1945).
Romantismo
São Luís, no Maranhão, cidade natal de Gonçalves dias
Acervo Sebrae
Gonçalves Dias: poeta, professor, crítico de história, etnólogo, nasceu em Caxias, no Maranhão, em 10 de agosto de 1823. Entre as suas principais obras, estão “Canção do Exílio”, “Os Timbiras”, “I-Juca Pirama”.
Alvares de Azevedo: poeta, contista e ensaísta, nasceu em São Paulo, a 12 de setembro de 1831. O escritor deixou obras marcantes para a literatura, como “Lira dos Vinte Anos”, “Noite na Taverna” e “Macário”.
Castro Alves: nasceu em Muritiba, BA, em 14 de março de 1847, e ficou conhecido como o “Poeta dos Escravos”, por conta do seu trabalho de cunho abolicionista. Entre suas princiapis obras estão “O navio negreiro” e “Os escravos”.
José de Alencar: advogado, jornalista, político, orador, romancista e teatrólogo, nasceu em Messejana (atual bairro de Fortaleza), Ceará, em 1º de maio de 1829. “O Guarani”, “Senhora”, “Til”, “Iracema” e “A Viuvinha” são alguns romances importantes do autor, histórias publicadas inicialmente no formato folhetim.
Modernismo
Primeira fase:
Theatro Municipal de São Paulo, onde aconteceu a Semana de Arte Moderna de 1922
Celso Tavares/G1
Oswald de Andrade: poeta, escritor, ensaísta e dramaturgo, nasceu em janeiro de 1890. Em suas viagens pelo exterior, Oswald conheceu as vertentes da arte moderna na Europa. Inspirado, voltou para o Brasil e escreveu os primeiros textos com estilo modernista.
Mario de Andrade: poeta, escritor, crítico literário, musicólogo, folclorista, ensaísta e fotógrafo brasileiro, nasceu em outubro de 1993. O escritor ajudou a organizar a Semana de Arte Moderna de 1922 ao lado do amigo Oswald de Andrade. Entre suas obras mais importantes do autor estão “Amar, verbo intransitivo”, “Macunaíma” e “Paulicéia Desvairada”.
Segunda fase
Estátua de Carlos Drummond de Andrade recebe máscara em Copacabana, Zona Sul do Rio
Marcos Serra Lima/G1
Manoel Bandeira: poeta, crítico literário e de arte, professor de literatura e tradutor, nasceu em outubro de 1968, em Recife, no Pernambuco. Entre suas principais obras estão “Carnaval” e “A cinza das horas”. Seu poema “Os Sapos”, lido por Ronald de Carvalho, abriu a Semana de Arte Moderna de 1922.
Cecília Meireles: jornalista, pintora, poeta, escritora e professora brasileira, nasceu em novembro de 1901, em Rio Comprido (RJ). Além da carreira literária, o papel na educação também é lembrado. Cecília fundou a primeira biblioteca infantil do país. “Romanceiro da Inconfidência”, “Viagem” e “Ou isto ou aquilo” são algumas obras que marcam sua carreira.
Vinícius de Morais: poeta, dramaturgo, jornalista, diplomata, cantor e compositor, nascido em outubro de 1913, no Rio de Janeiro. Foi um poeta essencialmente lírico, o que lhe renderia o apelido “poetinha”. É autor de “Soneto de Fidelidade”, e da peça “Orfeu da Conceição”, e um dos precursores do ritmo Bossa Nova.
Mario Quintana: poeta, tradutor e jornalista, nasceu em julho de 1906, em Alegrete (RS). conhecido como o “poeta das coisas simples”, e um dos mais queridos pelos leitores brasileiros.
Carlos Drummond de Andrade: poeta, contista e cronista, considerado por muitos como o poeta mais influente da literatura brasileira, nasceu em outubro de 1902, em Itabira (MG). Dono de uma poesia concreta, objetiva e com linguagem mais popular. Entre suas principais obras estão “A Rosa do Povo”.
Terceira Fase
Bairro do Leme, na Zona Sul do Rio, ganhou estátua da escritora Clarice Lispector
Fernando Frazão/Agência Brasil
João Guimarães Rosa: escritor, diplomata, novelista, romancista, contista e médico, nasceu em junho de 1908. Um dos principais representantes do regionalismo brasileiro, característica da terceira fase do modernismo. Como atuou como médico e diplomata, começou a publicar aos 38 anos. Entre suas principais obras está o clássico “Grande Sertão: Veredas”.
Clarice Lispector: escritora e jornalista brasileira nascida na Ucrânia em dezembro de 1920, Clarisse é uma das autoras brasileiras mais populares nacional e mundialmente. Entre suas principais obras estão “Uma Aprendizagem: ou o Livro dos Saberes”. Em 2020, ela completaria cem anos de idade.
João Cabral de Melo Neto: poeta e diplomata nascido em janeiro de 1920, em Recife (PE). Inspirado desde criança pela literatura de cordel, João Cabral produziu uma poesia objetiva e racional. Entre suas principais obras estão “Cão sem Plumas” e “Morte e Vida Severina”. O poeta completaria cem anos em 2020.
Pós-modernismo
A escritora Lygia Fagundes Telles
Divulgação/UBE
Manoel de Barros: poeta nascido em 1916, em Cuiabá (MT), ficou conhecido pela sua poética bastante livre e que versava sobre as coisas pequenas e singelas, observando o mundo a partir do universo particular. Entre suas principais obras está o “Livro das Ignorãças”.
Lygia Fagundes Teles: considerada “a maior escritora brasilelira viva”, Lygia Fagundes nasceu em abril de 1923, em São Paulo. Foi presidente da Cinemateca Brasileira e indicada ao prêmio Nobel de literatura em 2016. Entre suas principais obras estão “As Meninas” e “A Estrutura da Bolha de Sabão”.
Dalton Trevisan: escritor nascido em Curitiba (PR), em 1925, Dalton Trevisan ficou conhecido pelo estilo conciso de seus contos, e dos temas controversos explorados por ele. É conhecido também pelo seu jeito recluso de viver. Sua obra principal é “O Vampiro de Curitiba”.
Ferreira Gullar: escritor, poeta, crítico de arte, biógrafo, tradutor, memorialista e ensaísta e um dos fundadores do neoconcretismo, nasceu em 10 de setembro em São Luís, no Maranhão. A obra de Ferreira Gullar ficou marcada principalmente pelas questões políticas e sociais. O posicionamento político, inclusive, fez com que Gullar fosse exilado durante o regime militar brasileiro.
Movimentos pós-modernos:
Documentário conta a história do artista Torquato Neto
Reprodução
Concretistas: movimento artístico iniciado nos anos 50, o concretismo era notadamente racionalista, buscando na arte a expressão de um geometrismo extremo. Os maiores expoentes concretistas no Brasil são os irmãos Haroldo (1929) e Auguso de Campos (1931) e Décio Pignatari (1927), todos eles paulistas.
Literatura marginal (ou geração mimeógrafo): resultado da forte repressão quehavia contra o trabalho artístico durante o regime militar de governo no Brasil durante as décadas de 60 a 80, a geração marginal da literatura brasileira se caracterizou por uma produção que buscava fugir dos padrões estéticos e editoriais da época. Entre suas característica está distribuição “caseira” das obras, daí o apelido “geração mimeógrafo”, e sua influência segue até hoje nos trabalhos de jovens de periferia de capitais brasileiras. Entre seus principais nomes está o nosso “anjo torto”, o poeta, letrista , jornalista e cineasta piauiense Torquato Neto (1944), além do escritor, poeta, crítico literário, tradutor e professor curitibano Paulo Leminski (1944) e a poeta, crítica literária, professora e tradutora Ana Cristina César (1952).
Adicionar aos favoritos o Link permanente.