Resistência de Maguito Vilela às complicações da Covid-19 ‘aumenta muito a esperança’ de recuperação, diz médico


Ele segue internado na UTI de um hospital de São Paulo, em processo de redução da sedação. Prefeito eleito está internado há mais de um mês. Maguito Vilela segue internado em UTI se recuperando de complicações da Covid-19
A resistência de Maguito Vilela (MDB) às complicações da Covid-19 dá esperança de recuperação à equipe médica que está acompanhando o prefeito eleito de Goiânia. Ele segue na UTI, em processo de redução da sedação para que possa, aos poucos, respirar sozinho.
“Algo que tem pautado muito essa atenção a ele é grande resistência que ele tem tido frente a essas complicações e frente ao tempo prolongado de adoecimento. Isso aumenta muito a esperança de que ele possa se recuperar, uma vez que ele vem resistindo a essas complicações que vêm surgindo”, disse o médico Marcelo Rabahi, que acompanha o paciente no hospital em São Paulo.
De acordo com o último boletim médico, divulgado na noite de domingo (13), Maguito segue com traqueostomia e fazendo diálise. Ele mantém o nível de oxigenação satisfatório.
“A expectativa é de reduzir a sedação, manter a pressão estável e, com isso, ir tentando mudar os parâmetros do ventilador para que ele possa, aos poucos, assumir a própria ventilação, como aconteceu há alguns dias atrás”, disse o médico.
Maguito Vilela no hospital Albert Einstein, em foto antes da segunda entubação
Reprodução/Instagram
Histórico de internação
O político testou positivo para o coronavírus em 20 de outubro. Dois dias depois, foi internado em um hospital de Goiânia.
Em 27 de outubro, ele recebeu diagnóstico de até 75% de inflamação nos pulmões e um alerta para o nível crítico de saturação de oxigênio no sangue. No mesmo dia, foi transferido para São Paulo.
Em 30 de outubro, Maguito foi entubado, pela primeira vez, após piora no quadro respiratório. Em 8 de novembro, ele voltou a respirar sem o equipamento.
O político apresentou piora e voltou à ventilação mecânica em 15 de novembro, dia da votação. Dois dias depois, o candidato iniciou o tratamento respiratório com ECMO, uma máquina que imita as funções dos pulmões.
Em 3 de dezembro, após testar negativo para Covid-19, Maguito foi transferido para um leito de UTI comum do hospital. Depois de dois dias, a ECMO foi retirada.
Em agosto deste ano, Maguito perdeu duas irmãs para a Covid-19 em um intervalo de menos de 10 dias. Elas tinham 82 e 76 anos e moravam em Jataí, cidade natal do político, localizada no sudoeste de Goiás.
Veja outras notícias da região no G1 Goiás.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.