Secretaria de Saúde investiga três casos suspeitos de reinfecção pelo coronavírus no DF


Segundo pasta, amostras dos pacientes serão encaminhadas ao laboratório de referência da Fiocruz, no Rio de Janeiro. Brasil teve primeira reinfecção confirmada nesta quinta-feira (10), no Rio Grande do Norte. Secretaria de Saúde investiga três casos de reinfecção pelo novo coronavírus no DF
Breno Esaki/SES-DF
A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) informou que investiga três casos suspeitos de reinfecção pelo novo coronavírus na capital. Na quinta-feira (10), o Ministério da Saúde (MS) confirmou o primeiro caso de reinfecção no Brasil, em uma paciente do Rio Grande do Norte.
Reinfecção por coronavírus: veja o que se sabe sobre pacientes contaminados pela 2ª vez
Câmara Legislativa do DF aprova comissão para fiscalizar vacinação da Covid-19
De acordo com a SES-DF, a coleta de amostras foi encerrada nesta semana. A pasta afirma que o material será encaminhado ao laboratório de referência da Fiocruz, no Rio de Janeiro, nos próximos dias.
Após as investigações epidemiológicas e laboratoriais, o resultado será informado via Ministério da Saúde. Conforme o protocolo do governo federal, são considerados casos suspeitos de reinfecção aqueles em que o paciente tenha dois resultados positivos de RT-PCR em tempo real para o vírus Sars-CoV-2.
É preciso um intervalo igual ou superior a 90 dias entre os dois episódios de infecção respiratória, independente da condição clínica observada nos dois episódios. No DF, também é necessário que as duas amostras positivas sejam encaminhadas ao Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-DF).
Os três casos na capital são situações em que a primeira infecção ocorreu entre junho e agosto, e a segunda confirmação laboratorial ocorreu entre o fim de novembro e o início de dezembro.
Ministério da Saúde investiga 58 casos suspeitos de reinfecção por Covid-19
Aumento da transmissão
Na últimas semanas, o DF registrou um aumento no número de casos e na taxa de transmissão da Covid-19. A SES-DF pede à população que continue respeitando os protocolos de segurança e higiene durante a pandemia.
De acordo com o diretor substituto de Vigilância Epidemiológica, Fabiano Martins, o relaxamento das medidas pode “aumentar novamente a circulação do vírus”.
“Não queremos voltar à mesma situação de pico pela qual já passamos. Para evitar isso, a população tem um papel fundamental de contribuir nesse processo e não se expor ou ser canal de transmissão.”
VÍDEOS: especialistas e pesquisadores discutem sobre as vacinas contra Covid-19
Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.