Semas notifica Prefeitura de Belém por poluição atmosférica devido a foco de incêndio no lixão do Aurá


Irregularidade foi constatada por imagens de satélite e fiscalização no início da semana. A queima de resíduos gerou grande quantidade de fumaça Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) identifica foco de incêndio dentro do Aterro Sanitário do Aurá, em Ananindeua
Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará
A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) emitiu auto de infração, nesta quinta-feira (17), contra a Secretaria Municipal de Saneamento de Belém (Sesan) por poluição atmosférica. Imagens de satélites identificaram foco de incêndio dentro do Aterro Sanitário do Aurá, no início desta semana.
De acordo com a Semas, foram constatados três importantes focos de calor, sendo o maior deles no Aurá, e os outros dois estavam em terrenos baldios sem vegetação nos distritos de Icoaraci e Outeiro.
Fiscais foram aos locais indicados e constataram que a fumaça que tomou conta de parte do céu de Belém e Ananindeua vinha do antigo aterro. O Aurá está desativado, mas o espaço ainda abriga resíduos e é de responsabilidade da Prefeitura Municipal de Belém.
“A Prefeitura tem 15 dias para apresentar uma defesa, em seguida o auto de infração segue para o setor jurídico da Secretaria, que decidi então se haverá aplicação de multa ou outra sanção”, explicou Mônica Moreira, diretora de fiscalização da Semas.
Prefeitura de Belém
Secretaria Municipal de Saneamento de Belém (Sesan) realiza vistoria e orientação no trabalho dos catadores no Aterro Sanitário do Aurá, em Ananindeua
Raphael Rodrigues/Ascom Sesan
A Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan) disse que equipes de fiscalização estiveram na manhã desta quinta-feira (17) no aterro sanitário do Aurá, em Ananindeua. O local possui 118 mil m² de área e recebe cerca de três mil toneladas de lixo domiciliar das cidades de Belém e Ananindeua.
No local foi identificado focos de incêndio no último sábado (12), mas contidos nessa semana e amenizados em decorrência das chuvas dos últimos dias. De acordo com o gerente administrativo do Núcleo de Destinação Final (NDF) da Sesan, Gilson dos Santos, a suspeita é que o incêndio tenha sido ocasionado por baganas de cigarro.
“Temos o cuidado de orientar as equipes desde o pátio da balança, sobretudo quando sabemos que se trata de papelão, plástico ou madeira”, disse Gilson.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.