Suprema Corte dos EUA rejeita pedido que tentava reverter vitória de Biden

A Suprema Corte dos Estados Unidos rejeitou um processo movido pelo Texas para anular o resultado das eleições presidenciais em quatro estados que apontaram a vitória do candidato democrata Joe Biden: Geórgia, Michigan, Pensilvânia e Wisconsin. A justificativa apresentada pela campanha republicana era que esses estados tinham usado a pandemia de coronavírus como um pretexto para mudar as regras eleitorais a fim de permitir mais votações por correio. A rejeição foi anunciada nesta sexta-feira, 11, sob a justificava de que o Texas não teria apresentado um interesse que pudesse ser reconhecido judicialmente em questionar a forma como os outros estados conduziram a votação.

A decisão representa a maior derrota da campanha republicana na tentativa de garantir a reeleição de Donald Trump. Juntos, Geórgia, Michigan, Pensilvânia e Wisconsin representam 62 votos no Colégio Eleitoral. Se o Texas tivesse vencido o processo, Joe Biden passaria de 306 pontos para 244, sendo que são necessários 270 para ser eleito. Na terça-feira, 8, a Suprema Corte já tinha rejeitado uma ação movida pelos republicanos para anular a vitória do candidato democrata na Pensilvânia, que concede outros 20 votos no Colégio Eleitoral.

*Com informações da EFE

Adicionar aos favoritos o Link permanente.