TIM lançará 5G DSS em 12 cidades e estuda planos para ex-clientes da Oi sem trocar chip

Após a compra da divisão móvel da Oi por TIM, Vivo e Claro, fica o questionamento sobre como ficam os clientes que precisarão mudar de operadora. Além disso, haverá algum desequilíbrio na concorrência às vésperas do leilão do 5G? Em teleconferência com jornalistas, executivos da TIM falaram sobre detalhes da compra e também de outros assuntos, como 5G DSS, a polêmica envolvendo fornecedoras chinesas como a Huawei e também sobre o desempenho da operadora em um ano difícil.

Sobre o 5G DSS, a empresa deve anunciar em breve que a tecnologia chegará a 12 cidades brasileiras, totalizando 15 – já existem usecases em outras três cidades, em caráter experimentar, para o acesso fixo de banda larga à internet. Sobre o assunto, a operadora ressalta que foi a primeira a fazer testes da tecnologia, com a ressalva de que, por não ter a mesma baixa latência e altíssima velocidade que a tecnologia promete após o leilão, o 5G DSS “queime” a tecnologia.

Se eu digo que o 5G DSS é igual ao 5G normal, mas é a mesma latência do 4G, e eu queimo esse cliente. Não é correto dizer que você tem 5G porque você tem uma antena em metade de um bairro. Na Anatel, a única empresa que cadastrou antena com 5G é a TIM. É estranho falar que tem 5G sem nenhum potencial sendo ativado [alta velocidade e baixa latência]. Isso queima uma tecnologia. O 5G DSS não é isso, mas tem o seu valor. O que estamos fazendo: optamos por fazer o 5G DSS em três cidades, testando a rede e a percepção, sem que ele precise comprar um aparelho de R$ 8 mil”.

Clique aqui para ler mais

Adicionar aos favoritos o Link permanente.