Turismo religioso SC: roteiro para quem busca por tradição e fé

Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento, em Itajaí – Foto: iStock/Divulgação

No vai e vem das movimentações religiosas, Santa Catarina tem se tornado um dos principais destinos do turismo religioso do país. Há cerca de 100 opções no estado para o visitante e fiel conhecer templos, igrejas centenárias e participar de romarias, procissões, entre outras celebrações.

Nova Trento, localizada na região do Vale Europeu, a 80 quilômetros de Florianópolis, é a principal atração do estado. Considerada a Capital do Turismo Religioso de Santa Catarina, a cidade movimenta milhares e até milhões de fiéis devotos de Santa Paulina, a primeira santa brasileira.

Mas há outros destinos e histórias no estado que queremos apresentar a você, relacionados, neste caso, à fé católica. No entanto, o turismo religioso vale também como turismo cultural, histórico e gastronômico.

Chiesetta Alpina, em Jaraguá do Sul

O destino está a 195 quilômetros de Florianópolis. 

Chiesetta Alpina, em Jaraguá do Sul. – Foto: Rozenir de Azevedo Deon/Chiesetta Alpina/Divulgação

Chiesetta, em italiano, significa igrejinha. A Chiesetta Alpina de Jaraguá do Sul é uma capela com capacidade apenas para 60 pessoas. Foi construída como um monumento à fé e também uma homenagem aos imigrantes da região dos Alpes, entre eles os italianos, para a cidade do Norte catarinense. Com uma área de pouco mais de 132 metros quadrados, ela fica no alto do morro Boa Vista. 

Sua arquitetura foi inspirada na Chiesetta de San Simon Apóstolo, construída no século 9 na província italiana de Belluno. Até os ângulos da cobertura e as proporções da capela de Jaraguá seguiram as da chiesetta italiana. Dentro da capela há ornamentos e afrescos que trazem referências da história da imigração no Sul do Brasil. Eles são de autoria de Franco Murerque, artista plástico italiano.O cenário ao entorno também é de homenagem. 


No local onde está a igreja também foi preparado um jardim ecológico, onde estão plantados pinheiros da região alpina e também obras de arte. A igreja foi concluída em 2013 e foi dedicada ao Papa João Paulo I que nasceu em Canale D’Agordo, na província italiana de Belluno. Sua família, assim como de tantos outros, também imigrou para o Brasil. 

Localização:

A Chiesetta Alpina fica na Estrada Hilda Spezia, no Morro Boa Vista. O horário de visitação é de terça-feira a domingo, das 8h às 12 horas e das 14 às 18 horas.


Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento, em Itajaí

O destino está a 102 quilômetros de Florianópolis. 

Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento, em Itajaí – Foto: iStock/Divulgação

Além de ser local de encontro, comunhão e prática de fé da comunidade itajaiense, a Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento é também um monumento artístico e cultural, o maior da cidade de Itajaí. Tanto que em 2010 ela foi tombada como Patrimônio Histórico Estadual pela Fundação Catarinense de Cultura. Ela faz parte da história da comunidade de Itajaí, ou pelo menos parte dela, desde os anos 1940, quando começou a ser construída. 

A primeira igreja da cidade, a Igreja da Imaculada Conceição, já não dava mais conta do número de fiéis. A cidade precisava de uma maior. A inauguração da Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento ocorreu em 15 de novembro de 1955. Construída em estilo neogótico e romântico, sua arquitetura é suntuosa e expressa também o momento de desenvolvimento econômico que a cidade estava vivendo no período de sua construção. Itajaí estava se urbanizando e se modernizando, e sua igreja matriz também precisava transmitir isso.  

Localização: 

A igreja está na Praça Irineu Bornhausen. O espaço fica aberto das 7h às 19h30 todos os dias da semana.


Santuário de Nossa Senhora de Azambuja, em Brusque

O destino está a 104 quilômetros de Florianópolis. 

Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio de Azambuja – Foto: Prefeitura Municipal de Brusque/Divulgação

A cidade de Brusque, no Vale Europeu de Santa Catarina, também tem presença marcante no turismo religioso do estado. As visitas e peregrinações até o Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio de Azambuja fazem de Brusque a quinta cidade mais procurada para turismo religioso em Santa Catarina

A história de devoção à Nossa Senhora – que apareceu em 1431 a uma camponesa na cidade de Caravaggio, na Itália, anunciando tempos de paz, está relacionada à história da imigração em Brusque. Os primeiros imigrantes italianos já pensavam em construir uma capela em honra à Nossa Senhora de Caravaggio. Sobre o altar, havia um quadro de Nossa Senhora vindo diretamente da Itália. 

O quadro ainda pode ser visto hoje em dia. Ele está na gruta que fica anexa ao Santuário. Também vieram da Itália as imagens de Nossa Senhora e de Joanita, que ainda estão no altar do Santuário. 

A pedra fundamental do Santuário como ele é hoje foi lançada em 1939 e sua consagração oficial ocorreu em 1956. Além do Santuário, o Vale de Azambuja, também conhecido como Vale dos Milagres, ainda abriga a Gruta com a imagem de Nossa Senhora de Caravaggio, o Morro do Rosário, o Seminário Nossa Senhora de Lourdes e o Hospital

Localização:

O Santuário Nossa Senhora de Azambuja fica na Praça de Azambuja, 1076. 

Santuário Santa Paulina, em Nova Trento

O destino está a 98 quilômetros de Florianópolis. 

Santuário Santa Paulina, em Nova Trento – Foto: Foto: Guilherme Melim

Nova Trento é uma cidade de menos de 15 mil habitantes, localizada na região do Vale do Rio Tijucas. A exemplo de outras cidades de Santa Catarina, também teve sua colonização marcada pela imigração italiana nos anos de 1875. Foi também da Itália e nesse mesmo ano que chegou à cidade, com seus pais e irmãos, a menina Amábile Lucia Visintainer que seria a futura Madre Paulina

É por causa de Madre Paulina, de sua obra, de sua canonização, do santuário erguido em seu nome e dos fiéis que movimentam a cidade, que Nova Trento foi reconhecida como Capital Catarinense do Turismo Religioso

A caridade e a fé se manifestaram muito cedo na vida da pequena Amábile. Dois anos após chegar ao Brasil, com então 12 anos de idade, sua mãe faleceu. Como uma das filhas mais velhas, cuidou da casa e da família ao mesmo tempo em que ajudava na Paróquia de Nova Trento, na Capela de Vígolo

Toda a história e a trajetória de Madre Paulina é contada no complexo do Santuário Santa Paulina. O local de nove mil metros quadrados de área construída, em meio à natureza, começou a ser sonhado em 1991, quando Madre Paulina foi beatificada

A decisão pela construção veio em 2002, ano em que Madre Paulina foi canonizada, tornando-se Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus: a primeira santa brasileira. A obra teve início no final de 2003 e foi concluída em janeiro de 2006.

Dos nove mil metros quadrados, mais de seis mil são do templo que com sua arquitetura em formato de mãos em oração, tem capacidade de abrigar três mil pessoas sentadas e outras três mil em pé. O restante da área construída se distribui em 30 pontos de visitação que ficam dentro do complexo.  

Locais de oração, contemplação, espaços de memória, velários, monumentos e trilhas em meio à natureza fazem parte do local e propiciam momentos de paz e espiritualização. Mas todo o complexo e Nova Trento em si valem também pelo resgate histórico tanto da vida e obra de Madre Paulina quanto da colonização da cidade. 

Localização:

O Santuário Santa Paulina está localizado na rua Madre Paulina, 3988, no bairro Vígolo. 

Adicionar aos favoritos o Link permanente.