Veja a prestação final das contas dos candidatos e partidos após as Eleições 2020 em Divinópolis


O prazo para informação do que foi gasto se encerrou na terça-feira (15); confira levantamento completo dos candidatos feito pelo G1. Urna eletrônica
Roberto Jayme/TSE
Terminou na última terça-feira (15), a apresentação da prestação de contas final dos candidatos e partidos durante as Eleições 2020. Para saber os valores gastos pelos postulantes à Prefeitura de Divinópolis, o G1 consultou os dados disponíveis no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e acessados pela reportagem na tarde de quarta-feira (16).
De acordo com o TSE, os eleitos também deveriam apresentar os números até terça para que pudessem ser analisadas a tempo da diplomação. Na cidade, a cerimônia ocorreu na quarta-feira (16).
Leia também:
Cerimônia de diplomação de prefeitos, vices e vereadores eleitos em Divinópolis e São Gonçalo do Pará será nesta quarta-feira
Prefeito eleito em Divinópolis anuncia titulares de secretarias, procuradoria e controladoria
De acordo com os dados, o candidato Fabiano Tolentino (Cidadania) teve a maior receita com R$ 416.361,05. Já a menor foi de Will Bueno no valor de R$ 57.358,48.
A maioria dos candidatos gastou a quantia com materiais de campanha, adesivos, serviços contábeis, publicidade e comunicação visual.
Veja abaixo o levantamento feito pela reportagem com os dados em ordem alfabética dos candidatos.
Prestação de contas
Candidatos à eleição em Divinópolis
Arte/G1
Fabiano Tolentino (Cidadania)
O candidato teve uma receita de R$ 416.361, sendo que 29,38% foram de recursos próprios e 21,39% de doações de pessoas físicas. Ele gastou R$ 404.814,21 com serviços prestados por terceiros, publicidade, serviços digitais, contabilidade, materiais impressos, adesivos e outros.
Galileu Machado (MDB):
O candidato teve uma receita de R$92.060, sendo que 55,4% foi referente à doação de partido e 33,74% de doações de pessoas físicas. Ele utilizou R$ 66.625 com comunicação visual, serviços de contabilidade, gráfica, serviços contábeis e outros.
Gleidson Azevedo (PSC)
O candidato teve uma receita de R$ 68.084, sendo que 76,39% foram de recursos próprios e 23,61% de doação de pessoas físicas. Ele gastou R$ 58.300,11 com serviços contábeis, serviços gráficos, fotografia e outros.
Iris Moreira (PSD)
A candidata teve uma receita de R$ 153.635, sendo que 38,43% foram de recursos próprios e 8,34% foram de doações de pessoas físicas. Ela gastou mais do que a receita, sendo um total de R$ 189.444,73 que foram utilizados com publicidade, com materiais impressos, serviços prestados por terceiros, atividades de militância, serviços contábeis e advocatícios.
Laiz Soares (Solidariedade)
A candidata teve uma receita de R$ 235.424, sendo que 49,45% são de doações de pessoas físicas, e 46,72% de doação de partido. Ela não investiu recursos próprios. Laiz não declarou o direcionamento dos gastos, como os demais candidatos acima.
Maria Helena (PT)
A candidata teve uma receita de R$ 170.991,26 sendo que 2,55% foram de doações de pessoas físicas e 97,45% de doação de partido. A candidata utilizou R$ 136.597,52 com serviços advocatícios, publicidade, materiais impressos, comunicação visual e outros.
Marquinho Clementino (Republicanos)
O candidato teve uma receita de R$ 211.179,972, sendo que 0,59% foram de doações de pessoas físicas e 32,23% do partido. Ele gastou R$ 60.637,55 com publicidade por materiais impressos, serviços advocatícios, contábeis, prestados por terceiros e outros.
Sargento Elton (PSL)
O candidato teve uma receita de R$ 217.398,70, sendo que 32,2% foram de doação de partido e 3,36% de doações de pessoas físicas. Ele gastou R$ 217.366,77com serviços advocatícios, contábeis, fotografia, publicidade e outros.
Will Bueno (PP)
O candidato teve uma receita de R$ 57.358,48 sendo que 8.72% foi de doação de partido e 12,2% de doações de pessoas físicas. Ele utilizou R$ 57.254,18 com serviços prestados por terceiros, serviços gráficos, produção de vídeos e outros.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.