Vigilância Sanitária autua organizadores de festas com aglomeração e pessoas sem máscara em Franca, SP


Em um dos flagrantes no sábado (12), responsáveis não tinham sequer alvará para realização do evento. Autuados devem apresentar defesa em até dez dias, diz órgão. Vigilância Sanitária autua organizadores de duas festas em Franca, SP
A Vigilância Sanitária autuou organizadores de duas festas irregulares no fim de semana em Franca (SP). Imagens compartilhadas em redes sociais mostram público acima da capacidade permitida, que é de 40%, e pessoas sem máscara.
Segundo Felipe Granzotti, diretor do órgão, os eventos, um deles clandestino, eram realizados sem respeitar as regras elaboradas pela Prefeitura e pelo Plano São Paulo por causa da pandemia do novo coronavírus.
A primeira autuação ocorreu no sábado (12), em uma chácara às margens da Rodovia Fábio Talarico, no sentido Franca – São José da Bela Vista (SP).
De acordo com Granzotti, os agentes estiveram no local para orientar os organizadores e foram informados de que o evento seria realizado no domingo (13). No entanto, o órgão recebeu várias denúncias à noite sobre a realização da festa e sobre a grande concentração de pessoas. Vídeos mostram centenas em pé e sem máscara.
Festa clandestina atrai centenas de pessoas em Franca, SP
Redes Sociais
Além de desrespeitar as normas sanitárias, a organização não apresentou documentos necessários para a realização da festa, como alvará.
Com apoio da Polícia Militar, a Vigilância autuou a organização, mas, por causa da quantidade de pessoas e para evitar o risco de tumulto, a festa não foi encerrada imediatamente.
No domingo, após denúncias, os agentes encerraram um evento que acontecia em um bar, na Avenida Rio Amazonas, e também autuaram os responsáveis. Segundo Granzotti, as pessoas estavam em pé dançando na frente do palco, sem máscara e a ocupação também estava acima do permitido.
Na fase amarela do Plano SP, o decreto municipal permite a realização de eventos em Franca, mas desde que as pessoas permaneçam sentadas em mesas com distanciamento e usem máscara quando não estiverem consumindo bebidas e alimentos. O limite de ocupação é de 40% do total que consta no alvará de funcionamento.
Granzotti afirma que a população precisa fazer a parte dela para que os estabelecimentos comerciais possam continuar funcionando reduzindo o risco de infecção do vírus.
“Não é que ninguém pode sair, que tudo tem que fechar, mas existem condições para isso. Bar pode abrir? Pode, mas tem que seguir o que determina o decreto. Pode ter evento? Pode, mas também tem que seguir o decreto. É essa colaboração que a gente pede, de entender o momento que estamos passando na pandemia.”
Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca
Adicionar aos favoritos o Link permanente.